Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


04/01/11
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 19:24

Coragem pra enxergar que o que faz mal, bem não faz, e que insistir em ficar numa situação destas vai é minando a sua essência, a sua vontade de viver e não consertar o que estragado está. Coragem de ver que cometeu um erro de julgamento, mas que ele só vai interferir negativamente se você não corrigi-lo. Coragem de ver que as pessoas são o que elas são e não o que a gente gostaria que elas fossem. Coragem de dar o primeiro passo e descobrir que todos os outros não serão tão difíceis assim.

Coragem enfim de ver o que está bem na sua frente estampado num outdoor mas que por medo do que quer que seja, por comodidade, por orgulho ferido, por teimosia, por dependência, ou por apego a uma ilusão de sentimento que um dia pode até ter existido mesmo mas hoje se transformou em algo bem diferente e nada bom, você não se permite virar a página ou fechar o livro e começar um outro e viver a vida que você merece viver e não somente continuar sobrevivendo.

Porque permanecer numa situação que te faz mal não é sinal de coragem e sim de covardia e contra você mesmo.

Be brave and save yourself!

O texto sobre o assunto que gerou o meu comentário acima está aqui. E eu recomendo.





6 dudes comentaram nesse post:

  1. Jr disse:
    4 de January de 2011 às 19:43

    Acredito que o grande tema aqui não é na verdade a coragem de desistir do que faz mal, e sim conseguir se livrar das amarras que o status quo nos mantem.

    Reply

    • Diandra Fernandes disse:
      4 de January de 2011 às 21:05

      Jr,

      Hey, what is up?

      E tem tb este medo. Mas o que eu escrevi tem a ver com algo que tenho visto e que tem a ver justamente com isso.

      XO

      Reply

  2. Frank disse:
    4 de January de 2011 às 21:53

    Estou aprendendo nestes últimos tempos, e posso seguramente dizer que não e facil, mas e mais valido nos dar uma chance e mudar nossa própria vida a continuar se iludindo com coisas e pessoas que não estão nem aí pra gente.

    Reply

  3. Jr disse:
    4 de January de 2011 às 22:56

    What’s up Di…

    Na verdade eu só quis citar que este medo faz parte de algo muito maior.
    Estar agarrado a algo (que nos faz bem ou mal, nem importa agora) é parte do status quo. Aprender é um trauma (em graus de severidade bem variados), que só acontece quando nos damos conta de que não saibemos algo. O trauma acontece justamente porque temos que nos dar conta de não sabemos, então é necessário sair da zona de conforto e experimentar novas sensações inerentes aquela nova tarefa (frequentemente ansiedade, frustração, medo de não ser capaz..)
    Nas relações humanas é ainda mais severo, pois tudo o que sabemos sobre se relacionar com outras pessoas é adquirido no decorrer da infancia e parte da adolescencia.
    Os tão citados “dad’s issues” and “mom’s issues” nasceram justamente disso.
    Então abandonar o status quo e partir para novos rumos e possibilidades não é só dificil como traumatico, justamente porque, após a adolescencia (que vai até os mid 20, a saber) o trauma se torna também emocional, e todos nós buscamos apenas os sentimentos bons, e um deles é justamente a segurança, o que nos faz abraçar uma condição que não nos faz bem.

    PS: gostava mais qd eu ganhava doubles e até triples XO. Como eu sumi, acho que não tou merecendo né?
    PS2: tou numa vibe mais “psicologica” da coisa (se é que existe uma)

    XOXO

    Reply

    • Diandra Fernandes disse:
      5 de January de 2011 às 02:26

      Jr,

      Exato. Por enquanto vai ficar só no XO.rs

      Reply


Deixe seu comentário