Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


04/10/07
Na(s) categoria(s): Comidinhas, News, Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 14:32

Na verdade, eu poderia ampliar e dizer, o poder terapêutico do cogumelo, pois digamos que este alimento em geral, que vem a ser um fungo (delicioso, mas fungo), tem muitas utilidades para a nossa saúde.

Com alto teor protéico e baixo teor de gorduras, ele é rico em carboidratos, vitaminas, minerais e fibras. Como se isto não bastasse, ele ainda teria substâncias capazes de prevenir e reduzir o risco de certas doenças e o melhor, dar uma turbinada do balacobaco no seu sistema imunológico.

E como destaco o Shiitake aqui, então nos voltemos a ele. O Shiitake tem uma substância chamada lentinan que vem a ser um modificador para melhor da resposta biológica do organismo. Com isso ele ajuda a combater e prevenir desde uma gripinha boba e chatinha, infecções mil até nada mais nada menos do que o câncer. E pasmem, chega a ser tão eficiente como o AZT, no “combate” ao HIV.

É claro que eu não vou sugerir que as pessoas troquem os seus medicamentos por ele, mas por que não incorporá-lo na rotina, pra dar uma mãozinha básica a eles? É sempre bom contar com “amigos” poderosos nessas horas, não é?

E para arrematar, o Shiitake é considerado um tônico de longevidade, pois favorece o bom funcionamento do coração, atua no controle do colesterol e da pressão arterial dentre outras coisas.

No meu prato esse aí não falta.

Algumas receitas com Shiitake e outros cogumelos:

Espetinho de Shiitake, Shimenji no Papillote, Risoto de Funghi, Shiitake na Manteiga

E se decidir cozinhar… sempre atente para a validade do cogumelo. No caso do Shiitake, evite comprar e usar o próprio próximo à sua data de expiração. Quanto antes consumir, melhor.

Ah, não quer cozinhar? Então, da próxima vez que for a um restaurante japonês, peça uma porção de shiitake ou shimenji como entrada. Ou então, peça um prato com um cogumelo nos restaurantes por aí. Mas incorpore sim o hábito de comer cogumelos regularmente e religiosamente, pois ele de fato tem lá os seus poderes. Ou isso, ou eu sou uma espécie de superwoman, que simplesmente se recusa a ficar doente. Uma ET.

Fontes: Wikipedia, Terra e Portal do Agronegócio – neste último, você vai ficar sabendo muito mais sobre os cogumelos, seus tipos e propriedades. Confira lá.


Tags:


26/09/07
Na(s) categoria(s): Anote Essa!, Bons Drinks, Comidinhas, Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 14:31

Segundo o livrinho que eu acabei de ganhar sobre massas da Abril Coleções é algo absolutamente fundamental quando o assunto é massas. E é mesmo.

E o que vem a ser “al dente”? É o ponto dito certo do cozimento da massa, onde ela não fica nem mole nem dura e sim na medida certa para, well, dentá-la. E ela chega a este ponto quando não há mais nenhum resquício de branco em seu interior. Pra verificar, é só retirar um pedaço de massa da panela quando em cozimento e cortar ao meio. Se não tiver nada branco, está cozida.

Ou então, mastigue o pedaço retirado e veja se não há mais durezas nela. Mas não espere demais para checar não, caso contrário ficará macia/mole ao extremo.

Na embalagem da massa, geralmente vem o tempo de cozimento. Baseie-se por esta média e cheque a partir dela, com certa frequência até chegar ao ponto do “al dente”. E garanto que não vai demorar muito não. Portanto, fique de olhos e dentes em alerta.




18/08/07

E o que eu quero dizer com isso? Bom, se você é daqueles que não é familiarizado com o este setor da sua casa, ou não se sente tão à vontade assim nele, e um dia decidir se meter a chef, tenha sempre na manga um plano B que nada mais é do que uma alternativa de receita simples e à prova de erros, que agrade a gregos e troianos, com ingredientes à mão (comprados por você de antemão just in case), do tipo vapt-vupt. Pois se errar a receita, sempre terá algo pra servir e feito por você. In a minute! E se você não contar, ninguém nem vai notar!

E este plano B tanto pode ser algo simples que você já esteja escolado em fazer como uma omelete de ervas ou cogumelos ou uma boa massa, ou então algo super descomplicado que até com venda nos olhos daria pra fazer, do tipo é só colocar os ingredientes na tigela e voilà, pronto está. E neste quesito uma Salada Toscana se encaixa super bem. E se quer saber? Até como um plano A cairia muito bem, pois ela é diferente e uma delícia. E se não gostar de atum, deixe-o de fora e substitua por parmesão autêntico ralado em tiras grossas na hora. E se preferir, ou for tomar um bom vinho, deixe o vinagre de fora e faça de molho somente azeite com pimenta e pitadas de sal, este último, se necessário.

Salada Toscana

Mas voltando ao plano B, sugiro que até os mais experientes na cozinha, principalmente quando se aventurarem a fazer algo novo e diferente, tenham sempre um plano B à mão, com os ingredientes prontinhos e à disposição para se precisarem de uma alternativa de emergência, no caso, mesmo que remoto da receita desandar.

E para arrematar: ter um plano B vai amenizar a pressão e facilitar a tua empreitada, pois saberás que de um jeito ou de outro o jantar sairá. Pode até nem ser exatamente do jeitinho que imaginaste, mas ficará bem perto, ou quem sabe até even better!




Anterior12223242526... 26Próxima Página 24 de 26