Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


01/04/17
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 10:38

Já que hoje é o dia oficial dela, um pensamento a respeito da própria, a mentira, aquela que costuma ter perna curta… Mas até chegar lá… condena o futuro, indeed, porque ou se vira escravo dela ou ela acaba emperrando a nossa de vida de outras maneiras. E põe maneiras nisso… Inclusive as tais das mentirinhas do bem.

Já a mentirinha da trollagem… essa, hoje tá liberada.




22/03/17
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 10:18

E é um livro sobre budismo onde o autor Lodro Rinzler fala sobre a filosofia budista e de como usá-la pra viver e se relacionar melhor no seu dia a dia como se estivesse batendo um papo pra lá de informal com você, na mesa de um bar qualquer. E é um papo tão gostoso e com tantos bons insights pra vida que torna este livro um must-read pra qualquer dude interessado em lidar melhor consigo mesmo e com o que acontece com a gente e não somente alguém buscando conhecimento sobre o budismo.

Do livro eu destaco este trecho que é um insight sensa pra lidar com a dor de alguma situação ou emoção desagradável ou triste:

“… a melhor maneira de nocautear a nossa dor é não fazer nada. Em vez de ficarmos nervosos ou de a ignorarmos, tudo o que precisamos fazer é permanecer no presente, em contato com o que estamos sentindo. A dor pode nos golpear várias vezes na barriga. Podemos até sentir enjoo. Porém, ao permanecer no presente com a nossa dor, ela se esgota. Ela começa a diminuir, vacila e se dilui. Se não nos entregarmos à nossa dor e nos permitirmos apenas senti-la, iniciamos um processo de cura interior. A dor nos purifica como uma onda e chegamos do outro lado da praia nos sentindo melhor.”

#BemIssoMesmo Só acrescentaria o respire profundamente (ou vá tentando fazê-lo) durante todo o tempo que estiver experimentando o sentimento desagradável. Ajuda. E muito. E acredite ou não, é bem melhor deste jeito do que simplesmente evitá-la.

Bom, ainda não acabei de ler o livro mas já tá recomendadaço. Porque tenho achado spot on.

Aqui tem o livro per se e aqui a versão digital. ( #linksafiliados ).




28/12/16
Na(s) categoria(s): Comportamento, Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 11:03

Geralmente bichos de estimação não curtem nadica de nada a barulheira dos fogos de artifício. Entendo perfeitamente o porquê…. E pior, ficam super assustados, estressados quando o foguetório acontece. O que não é nada bom pra eles já que podem fugir ou se machucar. A seguir tem algumas dicas pra lidar com este momento de alto estresse pro bichinho, tanto pra ir acostumando o fofucho com a barulheira e tornar a experiência mais “normal” pra ele e outras dicas pra lidar com a situação de estresse per se da melhor maneira possível. Olha só:

  1. Mostre que os barulhos não são perigosos. Associe os fogos a coisas legais: faça festa, dê petiscos, etc. Nada de ficar passando a mão na cabeça do animal ou pegá-lo no colo para acalmá-lo. Assim, ele vai mesmo entender que deve ficar assustado.
  2. Acostume o animal a barulhos semelhantes. Pode gravar um CD com tempestades ou fogos e colocar para ele ouvir todos os dias. O barulho dos fogos vira algo corriqueiro que aos poucos, ele vai deixar de dar importância.
  3. No dia a dia, quando acontece algum barulho, como o estouro de uma bomba, não agache perto do animal. Tente mostrar que é uma coisa legal.
  4. Animais que têm uma fobia muito grande podem tomar remédios ansiolíticos. Isso os ajuda a ficarem mais calmos. A medicação deve ser recomendada e acompanhada por veterinário. Experimente dar antes do dia dos fogos, pois é preciso ver o efeito que o remédio exerce no organismo. Em doses erradas, os ansiolíticos podem ter efeito contrário.
  5. Se o animal estiver meio “grogue” do remédio, é melhor prendê-lo, por que ele pode se machucar. Alguns até se jogam da janela ou varanda. E mesmo sem tomar remédio, é bom prender em algum cômodo que ele goste de ficar na hora do foguetório. Porque mesmo sem estar grogue, ele pode fugir e/ou se machucar na tentativa de.
  6. Prefira deixá-lo preso em locais que eles goste, onde ele se sinta mais seguro. Se ele entrou debaixo da cama, o ideal é prendê-lo no quarto.
  7. Não o prenda em coleiras ou correntes porque ele pode se enforcar na angústia de escapar do barulho. Mas é bom uma coleira de identificação no pescoço ou um chip caso eles fujam anyways.
  8. Feche o máximo de portas e janelas para abafar o som. Acostume-o ao som ambiente relativamente alto e brinque com ele.

Fonte: Anda.




1234... 586Próxima Página 2 de 586