Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


23/04/07
Na(s) categoria(s): Comportamento, Guia de Compras, Q&As | Postado por Diandra Fernandes às 18:48

Zara Window

Dilema, dilema, dilema!

Pra começar, hoje em dia é dificílimo definir o que é barato, pois tudo parece carésimo. E em muitos casos, é mesmo. Pra mim, barato mesmo é só pechincha e que convenhamos, muitas vezes no final das contas, acaba saindo bem mais caro do que pagamos… Mas não se desespere, pois há jeitos e jeitos de fazer com que as suas compras não acabem dando um xeque-mate na sua conta bancária.

O melhor deles, é ser esperto, inteligente e ter um traquejo invejável, de passista de escola de samba mesmo, na hora de fazer as suas compras. E lembrar sempre de que timing is everything.

Pra começo de conversa, fique atento a temporada de liquididações e tire o melhor proveito dela. O reportório do guarda-roupa masculino é bem reduzido e limitado, povoado na sua maioria por peças clássicas que vez ou outra traz um quê de modismo. Portanto, comprar peças clássicas (daquelas que todo homem deve ter no seu armário e que não importa a estação ou o modismo do momento sempre terá o seu lugar ao sol) nas liquidações é uma maneira de investir no seu guarda-roupa sem necessariamente bater no vermelho. E sim, encare estas peças como um investimento, pois elas são atemporais e se bem compradas terão vida longa no seu armário, sem necessidade de reposição por um longo tempo. Se quiser e puder até pague o caro por elas, pois vale a pena.

Mas voltando ao nosso “bom e barato” e as peças clássicas… Dê prioridade sempre às suas necessidades imediatas e aos poucos vá comprando o que falta para montar o que chamamos de a base do seu stylish wardrobe. Sem pressa, na cadência que o seu orçamento permitir.

Outra maneira é ter em mente que certas peças são modinhas de momento e que não vale a pena investir uma grana preta nelas. Procure sempre alternativas em lojas que de repente não vão lá te oferecer o bom em qualidade, mas vão te permitir curtir a estação bem “in” sem fazer um rombo no seu cartão de crédito. E pra sua informação: geralmente, estes modismos duram somente uma estação, duas se muito e até lá, com certeza a sua roupitcha fashion vai durar. Em resumo: não gaste com tendências do momento tipo uma Tee cor de neon ou uma calça grafitada, por exemplo. Guarde o seu rico dinheirinho pra comprar algo que vá durar e perdurar.

Outro jeito é escolher fazer as suas compras em lojas que não tenham os preços exorbitantes. Duh! Garimpar nelas é o lema.




20/04/07
Na(s) categoria(s): Guia de Compras | Postado por Diandra Fernandes às 17:48

Antes de mais nada, na hora da compra, certifique-se de que a loja aceita fazer trocas ou reembolsos (raro mas quem sabe?). E assim que chegar em casa ou no dia seguinte, descansadamente, vista a roupa ou o acessório comprado e veja como lhe parece fazendo o teste do espelho, ou se quiser, uma espécie de test drive pós compra. Continua gostando do que vê? É confortável, ou melhor, se sente confortável nele? Se precisar, fique por alguns momentos com a peça. Se aprovado, então pode tirar a etiqueta e acrescentar o item comprado na sua gaveta ou no seu armário. Mas só faça isso após ter certeza que a compra foi acertada. Até lá, não remova a etiqueta pois muitas lojas precisam dela para efetuar a troca.

Se por um outro lado, o resultado foi bem aquém do que você esperava, ou na linha do “what the hell were you thinking?”, volte à loja e troque por algo que lhe caia melhor ou peça o seu dinheiro de volta(?).

Não, não precisa ficar com vergonha ou se sentir o pior comprador da história se este for o caso, pois você não é. Acontece nas melhores famílias e muitas vezes com Personal Stylists bem qualificadas numa self-shopping expirience! É, estou falando de mim mesma. What? Todo mundo tem lá o direito de ter um bad hair day ou não tem?

Bom, mas voltando ao assunto, isso se dá porque muitas vezes, a gente tem uma impressão equivocada da roupa que experimentamos nas lojas que não condiz com a realidade. E acontece por várias razões, desde o fato de estarmos num mau dia ou na maior pressa até uma luz favorável por demais no provador que nos cegou parcialmente ou pior, por completo. E um reality check se faz necessário e só ocorrerá em casa mesmo.

Se precisar, peça o veredicto de algum amigo, mas só vale se ele for um dos seus bons amigos. Os da onça estão fora de cogitação. 




Anterior1555657 Página 57 de 57