Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


21/08/17
Na(s) categoria(s): Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 10:26

Senta e pega um chá numa canecona que o texto é longo.

Não faz lá muito tempo a polêmica do dia foi com a Rita Lobo que não concorda com esta ONda de demonizar certas comidas. E mesmo superconcordando com ela que hoje em dia rola um exagero com cortes desnecessários de certos alimentos sem ter de fato alergias ou intolerâncias (são duas coisas diferentes), discordei dela no entanto quando ela disse que não devíamos pensar em comida como nutriente e que bastava variar que esta área estaria coberta. A gente tem sim que pensar na comida como nutriente. Também. Primeiro, porque isso não vai excluir by default comer com prazer, não. Porque comida rica em nutriente não é sinônimo de comida sem graça. Não mesmo.

Segundo, porque comida é algo superimportante pra manter o nosso corpo, aka esta máquina sensacional altamente complexa e equipada pra nos transportar nesta vida afora, funcionando em seu estado normal, de boa. Talvez quem nunca tenha sofrido com uma deficiência de algum nutriente não tenha ainda sacado isso. Eu já. Porque fiquei deficiente em B12. E dude, acabei sendo deficiente logo numa vitamina que é casca grossa se ficar em falta ou por insuficiência ou deficiência mesmo. B12 is a major bitch. Ô!

Quem me lê por aqui sabe que eu sou vegetariana há muuuuuuuuuito tempo. Tipo desde os 16 anos. Ou seja, há quase 3 décadas não como nenhum bichinho. Por ser vegetariana eu que sempre me informei bem sobre como me alimentar sem colocar em risco a minha saúde sabia que quando algo começasse a dar errado poderia ser por causa dela, essa tal de B12. Sobretudo comigo onde tudo sempre deu supercerto já que nunca soube o que era TPM, dor de cabeça era algo raro, nem gripe eu pegava, infecção não tinha, apenas vez ou outra uma alergia aparecia e como uma boa hipocondríaca (que não gosta de tomar remédios) achava que esse quadro de saúde sensa era indicativo de alguma doença. Vai vendo… Enfim, por eu consumir laticínios, ovos e até cereais enriquecidos com a B12 estava crente que o meu nível de B12 estava bom. Mesmo porque segundo os médicos você só precisa de uma dose até bem baixa de B12 diária vinda da alimentação e ela tem tipo uma reserva que dura bastante tempo. Então, tá. Por isso, eu não suplementava. Mas deveria. E com o tipo certo de B12, a metilcobalamina.

Não vou entrar em detalhes, porque são muitos, só vou dizer que nesta longa jornada uma coisa ficou bem clara: é impressionante como a falta ou insuficiência de qualquer nutriente pesa no nosso bem estar e saúde. A montanha-russa em que estive e ainda estou rodando ilustra bem isso, viu. Multipolaridade, sabe como? Então…

Mas só pra ilustrar, vou pegar a tireóide. Pra esta glândula funcionar direito ela precisa de nutrientes como iodo (duh), selênio, vitaminas A, B2, C, B12, D, proteínas, tirosina, molibdênio, manganês, magnésio, zinco… Por exemplo, sem o selênio suficiente ela não consegue transformar o T4 em T3 (dois hormônios produzidos na tireóide).

Detalhe: Os nutrientes têm que estar presente no seu corpo de forma consistente e não esporadicamente. Caso contrário dá pau em alguma equação.

Por isso vale muito a pena fazer sempre os exames checando os níveis dos seus nutrientes. Inclusive aqueles desconhecidos ou que não se dá muito bola pra ele. Verdade que uns são mais importantes do que os outros, mas mesmo assim cada um tem o seu papel pra manter esta máquina sensacional que é o nosso corpo funcionando no modo optimum, que é o modo que ele deveria funcionar. E sem os combustíveis certos ele não tem como.

Vale frisar que é sempre melhor abastecer o seu corpo de nutrientes via comida. Suplementação pode causar excesso e aí tem mais probabilidades de se ter efeitos colaterais nocivos pro nosso organismo (do que um excesso via comida) que também não é uma boa.

Outra coisa importante: comer variado ou supercolorido não vai necessariamente garantir a ingestão diária de todos os nutrientes. Porque tem nutrientes que só estão presentes em alguns poucos alimentos. E têm ainda o pequeno problema da concorrência entre eles. Por exemplo, uma refeição rica em cálcio e ferro, o cálcio ganha e o ferro vai pro brejo. Mas têm outras…

Por isso…

Ah, e uma coisa boa de comer pensando em cobrir todos os nutrientes é que assim não vai ter como ficar com fome não. E dificilmente vai pintar desejos de empanturramento. Mesmo porque corpo bem nutrido, equilibrado não sente fome. E raros são os desejos…

Agora voltando à B12… uma coisa deveras importante a registrar: não pense que somente quem é vegetariano ou vegano pode ter deficiência desta vitamina. Qualquer pessoa pode ter. E tem. Porque reais boas fontes da vitamina são via mariscos e fígado, coisas que geralmente quem come carne não consome com boa frequência. Além disso, a B12 é uma bactéria que se o bichinho que você estiver comendo tiver sido tratado com antibióticos pode dar adeus como fonte de. E tem ainda outros fatores que interferem na absorção da B12 pelo seu organismo. Certos medicamentos como antiácidos ou a falta do fator intrínseco funcionando direito, a quantidade de álcool que você ingere… tudo isso e mais outras coisas vão pesar nessa também. Ou seja, é uma boa considerar em suplementar a B12. Mas tem que ser na forma certa. Como a metilcobalamina e a cobamamida e não a cianocobalamina. As duas primeiras são dois tipos de B12 necessárias pro nosso organismo. E quando você consome elas nesta forma original ela já está pronta pro seu corpo usar. Se escolher a cianocobalamina, que é uma forma sintética da B12, seu corpo vai ter que transformá-la em hidroxocobalamina, outra forma de B12, pra aí então virar metilcobalamina pra ser usada pelo seu corpo e parte dela transformada em cobamamida (hopefully) pra cumprir o seu papel. Porque sim, seu corpo precisa destas duas formas de cobalamina (B12) pra funcionar.

Detalhe: a cianocobalamina vira a hidroxocobalamina porque ela foi feita a partir de uma molécula de cianureto/cianteo aka aquele veneno. E espera que com isso a hidroxo (que é um dos antídotos pra tratar envenenamento por cianureto) limpe os rastros dele no seu organismo. Ou seja, como se já não bastasse ter todo o trabalho de transformar a forma sintética numa usável pelo seu corpo ainda tem que lidar com o detox do cianureto. Complicado, né? Sobretudo pra quem está com deficiência ou insuficiência de B12 já. Pra quê dar todo este trabalho pro seu corpo que já está rateando? Isso sem entrar na questão que muitas vezes esta cianocobalamina não é convertida e/ou usada adequadamente pelo seu organismo e que somente a metilcobalamina é capaz de reverter muitos dos danos que a deficiência da B12 .

E nem vou falar sobre esssa tal de metilação que fica comprometida sem B12 suficiente porque já falei demais sobre o tema.

Agora, queridos médicos que me leem: deem um update nos seus conhecimentos sobre a B12 e sobretudo sobre a metilação. E não me interessa nem qual é a sua área. Porque em qualquer uma delas gabaritar a B12 e a metilação e todos os seus pormaiores é sine qua non. Porfa.

No mais, take a good care of yourself, dude.




22/05/17
Na(s) categoria(s): Comportamento, Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 10:06

Pois então, segundo especialistas, o hábito de falar sozinho, de bater aquele papo consigo mesmo tanto em voz alta ou mentalmente pode ser útil na resolução de problemas, na melhor organização mental e até pra dar um chega pra lá na solidão. Inclusive os próprios especialistas indicam este bate-papo entre você com consigo mesmo pra ensaiar, por exemplo, um diálogo difícil ou botar pra fora sentimentos.

pixabay

Foto: Pixabay

Segundo o psiquiatra Kalil Duailibi, ao falar sozinho você ouve o que está dizendo e este duo de falar e se ouvir faz com que os dois hemisférios do cérebro trabalhem, ou seja, permite que o cérebro funcione por completo. Isso organiza o pensamento e ajuda a encontrar respostas. O especialista ainda indica gravar estas sessões pra revisar as questões e poder resolvê-las, caso ainda estejam pendentes.

O hábito de falar sozinho também pode ser uma maneira de descansar a mente quando se tem a síndrome do pensamento acelerado que é quando não se para de pensar um minuto ou algo do tipo.

Dito isso, em excesso este hábito pode indicar uma certa dificuldade de se relacionar. Porque falar sozinho não pode virar a única forma da pessoa se comunicar/expressar, saca? Aí sim seria um problema. Fora isso, falar sozinho só traz benefícios. Portanto, não precisa mais se sentir o esquisitão ou ficar envergonhado quando te pegam no ato.

Fonte: Extra.




15/05/17
Na(s) categoria(s): Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 10:21

pixabay

Respirando. E isso tem até comprovação científica já que um estudo realizado pela Universidade de Stanford e publicado na Revista Science ilustrou com ratos de laboratório que um grupo de nervos no cérebro que regula a respiração tem conexão direta com o centro de excitação da mente. O que em outras palavras quer dizer que o jeito que você respira tem a ver com o nível de atividade geral do cérebro. E sendo o jeito o combo operante na sentença. Porque pra se acalmar a respiração tem que ser do tipo calmante e não excitante. Ou seja, respire profunda e lentamente, sobretudo na expiração. Acredito eu.

 


Tags:


123... 254Próxima Página 1 de 254