Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


05/10/06
Na(s) categoria(s): Acessórios Masculinos | Postado por Diandra Fernandes às 17:01

Sempre “combine” a cor do cinto com a do sapato. Não precisam ser da mesma cor exata (mas pode) e sim no mesmo tom. E a vibe (casual ou formal) também. Ponto. Portanto, quando quiser incorporar um cinto ao seu look, vá de preto, marrom escuro ou bege, com sapatos no mesmo tom, é claro. Evite outras cores ou combinações porque elas são, digamos, difíceis. E lembre-se: quando um é formal, o outro segue a linha e por aí vai. Desta forma você previne qualquer fashion faux pas.

E com jeans? Bom, com jeans, não use cinto formal. É, estou falando daquele de couro polido, por exemplo. Use um bem casual, de preferência de tecido (ex. lona ou cadarço) ou então de couro natural. E o sapato não precisa ser da mesma cor, mas tem que ser um igualmente informal como tênis, docksiders…

Com jeans só dá pra usar um cinto mais upzinho se for um jeans numa montada com sapato mais formal. Aí ele pode seguir a onda.

Ainda sobre os cintos: se for usar suspensórios(sério?), esqueça o cinto. Eles simplesmente não se bicam, pois têm a mesma finalidade: “segurar” as calças. Vira redundância, fica over.




01/10/06
Na(s) categoria(s): Comportamento, Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 21:48

Não podia deixar esta passar. Um estudo recente publicado na American Journal of Psychiatry comprova que não somos somente nós mulheres que podemos sofrer da síndrome Shop till You Drop Dead. Homens também podem padecer deste mal(?). E pasmem, na mesma proporção que nós. A única diferença seria que as mulheres tendem a procurar ajuda para o problema mais comumente do que os homens. E claro, enquanto homens preferem artigos tecs, cameras, cds, livros e outros brinquedinhos, nós preferimos roupas, acessórios, makeup, coisas pra casa…

O artigo ainda fala que geralmente esta síndrome consumista aparece cedo, lá pelos 20 poucos anos e está associada à classe média/baixa. Ela é caracterizada pela compra compulsiva e excessiva que geralmente vem seguida de um sentimento de culpa por comprar demais e/ou adquirir coisas que não precise ou vá usar. Fatores de risco? Alto grau de valores materialistas e baixa auto-estima. Se enquadra? Então, deixe o orgulho de lado e procure ajuda.




25/09/06
Na(s) categoria(s): Acessórios Masculinos, Anote Essa!, How To | Postado por Diandra Fernandes às 23:54

Aposto que vocês não sabem que há pelo menos uns 80 jeitos diferentes de dar nó em gravata. É claro que você não precisa aprender e usar todos eles, mas deve sim ser um master em pelo menos 5 deles: o simples, o duplo, o Windsor, o semi-Windsor e o da gravata borboleta.

Mas antes de irmos a eles uma dica pra lá de importante: sabe essas gravatas tipo clip-on que já vêm com um nó dado e que é só clipar na camisa? Jamais, em tempo algum, sob hipótose nenhuma use uma delas. Nem no desespero. Não há nada mais sem classe e deprimente de se ver do que uma dessas coisinhas pseudo-penduradas no seu pescoço. E não pense que não dá pra notar, porque dá sim. Aprenda a dar o dito nó, ou então peça a alguém para dá-lo, mas nunca me use um clip-on. Please!

Para ver o diagrama de como fazer cada um dos nós, é só clicar na imagem de cada um deles.

Nó Simples

Nó Simples

Bom, o nó simples é o mais usado por aí e o mais fácil de dar. Vai bem na maioria das ocasiões e é melhor dado numa camisa de colarinho clássico, sem que este seja muito aberto. Mas pode passar como uma opção nos outros também. Ótimo para quem tem pescoço curto, pois alonga. Use-o nas gravatas de tecido encorpado, pesado já que numa de seda por exemplo, vai ficar muito estreito.

Nó Simples

Nó Simples

O nó duplo é mais amplo do que o simples e dá um ar mais polido, formal ao seu look. Pode ser dado em todos os tipos de gravata, mas é melhor se dado nas de tecido leve ou médio. Cai bem na maioria das ocasiões.

Nó Duplo Nó Duplo

O nó semi-windsor é um nó que não é muito grosso nem muito fino (como o nó duplo) e por isso pode ser usado em gravatas de diferentes tecidos e cai bem na maioria das ocasiões.

Semi-windsor

Nó Semi-Windsor

Além de ser o mais usado por aqui, é bem mais fácil do que o windsor, que vem a seguir. Na dúvida, aposte nele.

Semi-windsor

Nó Semi-Windsor

O nó windsor é o mais grosso e pomposo dos 4 nós. Dito por muitos o melhor para usar em situações mais formais ou nas quais você precise passar uma ótima primeira impressão como é o caso de apresentações, aparições em frente ao juiz etc. Mas cuidado, pois às vezes é percebido como too much. Melhor usado com camisas de colarinho mais amplo de corte francês ou europeu, por exemplo e em gravatas de tecido que não seja pesado ou encorpado demais. Também veste melhor os que têm pescoço longo e/ou magro. Não use com gravatas muito grossas já que o nó ficará por demais exagerado.

Windsor Nó Windsor

O nó da gravata borboleta é usado juntamente com smokings ou quando você quiser dar uma diferenciada nos seus ternos. E lembre-se: um bom nó borboleta nunca é perfeitinho. E de novo, nada de borboletas já prontas. Dê o seu.

Gravata Borboleta

Borboleta

Leia ainda: Como cuidar da sua gravata.

E se precisar de fotos e how-tos melhores… dê uma olhada aqui.




Anterior128452846284728482849... 2851Próxima Página 2847 de 2851