Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


15/12/13
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 18:20

E a lista dos tais livros que podem te ajudar a dar uma arrumada na sua carreira foi elaborada por especialistas da área dentre os bons livros lançados em 2013 sobre o assunto que foi publicada na Exame, aka aqui ó. E dela eu selecionei alguns que eu achei interessante citar que podem ser aquele livro que vai fazer a diferença. Eis a listinha, pois, dos livros que eu coloquei na minha listinha do must-read para 2014:

livros-carreira-profissional

  • Desenvolva sua verdadeira vocação de Marcus Buckingham – e este  livro foi o livro que eu mais me interessei na lista porque ele foca em como desenvolver e aprimorar os seus pontos fortes, que ao browsear por aí acabei descobrindo que é justamente neles que a gente sempre deve focar. Mas ensina também a lidar com os pontos fracos pra que eles não sejam obstáculos, o que também super me interessa. Na verdade pontos fortes e fracos tem sido o meu foco lately… (versão impressa e versão digital)
  • To sell is human (Vender é humano: a verdade surpreendente por trás da influência sobre os outros) de Daniel Pink – tem ótimos insights sobre como lidar com pessoas no dia a dia. E o livro se aplica não somente pra quem trabalha como vendas per se mas pra todo mundo que trabalha, porque nós enquanto profissionais somos um “produto” que tem que ser vendido pra sermos bem sucedidos. Sim, falo de automarketing e tal. (versão impressa)
  • O Jeito Zuckerberg de fazer negócios de Ekaterina Walter – fala sobre os approaches do Mr. FaceBook e das lições e dos sucessos que tem obtido nesse business da ressocialização. (versão impressa e versão digital)
  •  A arte de pensar claramente  de Rolf Dobelli – perfeito pra quem quer aprender a evitar as armadilhas do pensar e tomar decisões mais acertadas e tal. (versão impressa e versão digital)
  • Não se desespere de Mario Sergio Cortella – nele o autor fala sobre técnicas de controle emocional que podem ajudar bem no dia a dia ou eventualmente no seu trabalho. (versão impressa)

E tipo assim, pra que tem nos livros te ajude, vocie tem que experimentar, colocar em prática, porque a teoria só vale praticada.




15/08/13
Na(s) categoria(s): Comportamento, Plantão: Onde Encontrar | Postado por Diandra Fernandes às 9:10

Durante muitos anos eu fui super apegada aos meus livros. Quer dizer aos livros que eu lia. Deixava todos nas estantes lá de casa, tipo a única coleção que eu já tive e que ficava ali enfeitando as prateleiras, acumulando poeira. E eram enfeites porque uma vez que eu os lia nunca relia. Porque eu sou dessas. Tantos novos livros pra ler, tantos novos autores e mundos pra conhecer pra que revisitar um mesmo universo já desvendado? Taí um conceito que eu não entendo. Mesmo. E um dia essa ficha caiu. E levou um tempo para eu me desapegar deles, confesso, porque livro é uma coisa que eu adoro, mas um belo dia, resolvi e resolvido estava: doei todos sem exceção.

livros-doação

E ó, eu tinha uma vasta coleção da Agatha Christie que eu adorava ver na estante. Porque sempre curti uma boa história de mistério. E as dela eram ótimas. E nem me venha dizer que não dava pra descobrir quem era o assassino porque dava sim. Ela sempre colocou as pistas pelo texto e se prestar bem atenção, na hora certa elas acendem a lampadazinha e te levam ao assassino (fica a dica). Enfim, foi tudo. E não me arrependi.

Pra doar livros eu no entanto, tenho uma regrinha: eu só guardo livros que tenham algum valor sentimental, um que tenha sido um presente especial ou que sejam relativos ao meu trabalho, porque estes eu estou sempre precisando. Estes eu não doo, dou e nem empresto, for the matter. Nem adianta pedir, fui clara? hehehe Mas todos os outros, eu estou sempre doando. Porque tá, acho que em geral livros nem são tão caros assim, mas tem tanta gente que não tem como insertá-los nos seus orçamentos mas gostaria tanto, tanto de poder… e acho meio que um egoísmo da minha parte mantê-los ali na minha estante just because, sem rotatividade, sem utilidade. A pity, mesmo. Pra mim, livro foi feito pra ser folheado. Sempre. Ou quase isso. Portanto, assim que eu acabo de ler, eu nem coloco na estante, deixo comigo um tempinho do meu lado na cama e depois vai direto pro saco da doação. With no regrets. E isso vale inclusive para o meu autor favorito do momento: Haruki Mirakami. Aliás, acho que vale mais ainda pra ele, porque se eu gosto tanto assim, porque não compartilhá-lo? Aí sim é que eu deveria, não? Pois então…

Portanto, além de doar sangue, roupas e os órgãos (quando passar desta pra aquela outra), considere doar livros também. E aí você pode fazer a sua regrinha pra ela, as well. Tipo ficar com alguns pela razão sua que for.

Detalhe: Estes dias eu comprei o meu primeiro iBook ou e-Book. Fiquei meio assim de não curtir e tal a nova maneira de ler mas acabou sendo uma delícia. Confesso que ainda gosto dessa coisa do livro físico mas achei super a possibilidade de de repente ter um livro no meu celular pra quando eu tiver num daqueles modes de espera eterna e o meu sinal de internet não estiver disponível, o que é muuuuuuito frequente porque o que tem de “buraco negro” não está nesse gibi… E desconfio que seja melhor pra ler quando a luz faltar… 😉




09/05/13
Na(s) categoria(s): Comportamento, Plantão: Onde Encontrar | Postado por Diandra Fernandes às 8:22

E algumas delas que o psicoterapeuta Flip Flippen identificou e escreveu a respeito no seu livro “Pare de se sabotar e dê a volta por cima” são as seguintes:

como não se sabotar

  • Ignorar as opiniões contrárias e querer ter sempre o controle da situação;
  • Não ser capaz de dizer não, mesmo que isso comprometa a felicidade;
  • Sentir dificuldade de deixar os erros para trás por ser introspectivo e pouco autoconfiante;
  • Não admitir as próprias falhas por causa do excesso de confiança e da teimosia;
  • Ser exigente, implicante ou rude, desrespeitando as ideias e opiniões dos outros;
  • Não conseguir cultivar relacionamentos profundos e expressar emoções;
  • Viver desmotivado e protelar eternamente as tarefas;
  • Resistir a mudanças e demonstrar nervosismo diante das incertezas;
  • Ser agressivo e raivoso, deixando as emoções se exacerbarem ao se sentir desafiado;
  • Tomar decisões rápido demais e ficar entediado facilmente.

Depois de identificar estes sabotadores faça um plano de ação e assuma um compromisso de ficar atento a elas e ir se consertando tanto na vida profissional quanto na pessoal.

Não é uma coisa que vai acontecer por mágica, exige hard work, mas né, poucas coisas na vida são fáceis e acho que estamos aqui pra ir pra frente, crescer, melhorar… e é justamente isso que faz da vida algo que valha a pena viver. Ou não é?

Fonte: Folha.




12345... 18Próxima Página 3 de 18