Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


02/01/15
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:03

Porque em muitos casos eis algo bem difícil de se ser: tolerante. Mas taí uma coisa deveras essencial pra gente viver melhor com os outros e com nós mesmos inclusive. E sobretudo pra transitar de boa pelas diferenças de pensamentos, atitudes e tal que existe por aí na real e na virtual. E neste artigo aqui tem 7 boas sugestões pra dar uma boa calibrada na tolerância nossa de cada dia.

exercitando a tolerância

  • Ouça mais, prestando a atenção no que o outro tem a dizer. Porque
  • Respire fundo. Oxigena o cérebro e ajuda a equilibrar emoções e a analisar melhor as questões.
  • Reclame menos. Ou seja, menos mimimi e mais Polianismo.
  • Lide com conflitos de forma pacífica e inteligente.
  • Quando estiver naqueles dias de mau humor, evite entrar em discussões, mesmo porque o mau humor tende a nos deixar mais intolerantes e explosivos.
  • Tente se colocar no lugar do outro, ver as coisas pelo outro ângulo.
  • Seja menos controlador. Porque dentre outras coisas, eis algo altamente desgastante emocionalmente falando. Let it be modo on every now and then, tá bom?
  • E eu acrescentaria isso aqui ó: aprenda a odiar/não gostar da atitude não da pessoa.

E sim, exercitar esta faceta requer consciência, foco e comprometimento, porque é algo que a gente sempre tem que estar calibrando porque volta e meia ela, a tolerância dá uma escapada. Miss Di aqui sabe bem disso… hehehe




05/09/14
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:17

 

Sabe? Bom, pro Flavio Gikovate é o medo da felicidade. Sim, ele mesmo. hehehe Aliás, é o medo da felicidade que também contribui e bem para aquele sabotador interno que muitos de nós têm dentro… sabe qual? Então… Porque o medo da felicidade gera uma vibe de destrutividade, que vem como o default dela. Portanto, não são os outros nem o olho gordo de ninguém e muito menos forças ocultas que esculhambam com as nossas pretensões de mudanças e com o caminho da nossa felicidade, somos nós mesmos.

A má notícia é que este auto mecanismo não tem cura, a boa é que tem como lidar com ele e a melhor maneira pra isso é primeiro deixar esta ficha cair e ficar ciente e não deixar que este medo sabote as suas tão almejadas pretensões de mudanças e claro, a própria felicidade.

O papo que ele bateu a respeito está no vídeo acima. Roda.




16/06/14
Na(s) categoria(s): Comportamento, Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 8:53

Se você não conhece o poder terapêutico que uma boa faxina tem, sobretudo no banheiro ou uma que envolva água, você está perdendo. Duvida? Então experimenta num dia daqueles, pegar o seu banheiro ou o quintal ou a cozinha e dar aquela boa lavada, fazer uma boa faxina meticulosa do tipo que não perde nem uma sujeirinha escondida wherever. E faça isso com vigor. Vai ver como os ares vão ficar mais ventilados, você vai se sentir mais leve e a sua mente vai igualmente se sentir lavada, mais limpa. Impressionante como tem este efeito. Pelo menos pra mim tem. E é sério isso. E superacho que vale ao menos experimentar e ver no que dá pra você. 😉

 

E se você mora com alguém, sabia que ajudar a faxinar melhora o relacionamento segundo este estudo, inclusive? Mais um ponto pra dona faxina!




123... 8Próxima Página 1 de 8