Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


22/05/17
Na(s) categoria(s): Comportamento, Saúde e Bem-Estar | Postado por Diandra Fernandes às 10:06

Pois então, segundo especialistas, o hábito de falar sozinho, de bater aquele papo consigo mesmo tanto em voz alta ou mentalmente pode ser útil na resolução de problemas, na melhor organização mental e até pra dar um chega pra lá na solidão. Inclusive os próprios especialistas indicam este bate-papo entre você com consigo mesmo pra ensaiar, por exemplo, um diálogo difícil ou botar pra fora sentimentos.

pixabay

Foto: Pixabay

Segundo o psiquiatra Kalil Duailibi, ao falar sozinho você ouve o que está dizendo e este duo de falar e se ouvir faz com que os dois hemisférios do cérebro trabalhem, ou seja, permite que o cérebro funcione por completo. Isso organiza o pensamento e ajuda a encontrar respostas. O especialista ainda indica gravar estas sessões pra revisar as questões e poder resolvê-las, caso ainda estejam pendentes.

O hábito de falar sozinho também pode ser uma maneira de descansar a mente quando se tem a síndrome do pensamento acelerado que é quando não se para de pensar um minuto ou algo do tipo.

Dito isso, em excesso este hábito pode indicar uma certa dificuldade de se relacionar. Porque falar sozinho não pode virar a única forma da pessoa se comunicar/expressar, saca? Aí sim seria um problema. Fora isso, falar sozinho só traz benefícios. Portanto, não precisa mais se sentir o esquisitão ou ficar envergonhado quando te pegam no ato.

Fonte: Extra.




02/01/15
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:03

Porque em muitos casos eis algo bem difícil de se ser: tolerante. Mas taí uma coisa deveras essencial pra gente viver melhor com os outros e com nós mesmos inclusive. E sobretudo pra transitar de boa pelas diferenças de pensamentos, atitudes e tal que existe por aí na real e na virtual. E neste artigo aqui tem 7 boas sugestões pra dar uma boa calibrada na tolerância nossa de cada dia.

exercitando a tolerância

  • Ouça mais, prestando a atenção no que o outro tem a dizer. Porque
  • Respire fundo. Oxigena o cérebro e ajuda a equilibrar emoções e a analisar melhor as questões.
  • Reclame menos. Ou seja, menos mimimi e mais Polianismo.
  • Lide com conflitos de forma pacífica e inteligente.
  • Quando estiver naqueles dias de mau humor, evite entrar em discussões, mesmo porque o mau humor tende a nos deixar mais intolerantes e explosivos.
  • Tente se colocar no lugar do outro, ver as coisas pelo outro ângulo.
  • Seja menos controlador. Porque dentre outras coisas, eis algo altamente desgastante emocionalmente falando. Let it be modo on every now and then, tá bom?
  • E eu acrescentaria isso aqui ó: aprenda a odiar/não gostar da atitude não da pessoa.

E sim, exercitar esta faceta requer consciência, foco e comprometimento, porque é algo que a gente sempre tem que estar calibrando porque volta e meia ela, a tolerância dá uma escapada. Miss Di aqui sabe bem disso… hehehe




05/09/14
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:17

 

Sabe? Bom, pro Flavio Gikovate é o medo da felicidade. Sim, ele mesmo. hehehe Aliás, é o medo da felicidade que também contribui e bem para aquele sabotador interno que muitos de nós têm dentro… sabe qual? Então… Porque o medo da felicidade gera uma vibe de destrutividade, que vem como o default dela. Portanto, não são os outros nem o olho gordo de ninguém e muito menos forças ocultas que esculhambam com as nossas pretensões de mudanças e com o caminho da nossa felicidade, somos nós mesmos.

A má notícia é que este auto mecanismo não tem cura, a boa é que tem como lidar com ele e a melhor maneira pra isso é primeiro deixar esta ficha cair e ficar ciente e não deixar que este medo sabote as suas tão almejadas pretensões de mudanças e claro, a própria felicidade.

O papo que ele bateu a respeito está no vídeo acima. Roda.




123... 9Próxima Página 1 de 9