Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


13/08/07

Tá bom, não é exatamente tudo o que você precisa saber sobre ternos, mas um quase tudo. Um dia eu chego lá.

O Terno Perfeito

E como eu já estou para postar este vídeo aqui faz tempo… porque acho que é o melhor no gênero available, vou pegar uma carona nele e falar mais um pouquinho do que um terno precisa para ser a killer one. O vídeo está em inglês, mas vale a olhada. E tudo falado nele, que é relevante, eu cubro aqui. Mas não me restrinjo a ele não.

Portanto, podem pegar as suas Montblancs ou Bics e anotar, pois vão precisar destas dicas da próxima vez que saírem para comprar, mandar fazer ou ajustar o seu terno. Mas como este post está com cara de bíblia… apertem o botão de imprimir que vai dar mais certo!

Antes de qualquer coisa, você precisa saber pra que exatemente quer um terno. É para trabalhar? Socializar? Ambas as coisas? Ou só para alguma eventualidade, afinal você é um homem prevenido?

Se for para trabalhar um cinza médio pro escuro ou azul marinho com lapelas tradicionais, as chamadas notch, vão dar conta do recado. Se for somente para socializar e badalar à noite… um de corte moderno mais pro slim fit com lapelas pontudas – peak ones – e preto é imbatível. No entanto, um marinho escuro ou do tipo midnight blue ou mesmo um cinza escurão podem ser a saída. Se for para ambas, escolha entre o azul marinho e o cinza escuro e que seja do tipo clássico e arrasador. Uma eventualidade? Vá de azul marinho/cinza escurão ou então preto, se for eventualidades noturnas. Falo mais e melhor a respeito aqui.

E uma coisa que ainda não falei: se quiser um terno mais na linha hip, um slim fit é a pedida, pois com ele você vai poder dress up (classic way) ou down (com tênis e até com um jeans) mais eficientemente. Agora, se quiser algo mais hip pra usar dentro de um look ternal tradicional, faça uso das lapelas semipontudas, que ficam no meio termo entre as peak e as notch. Só não vá de pontudas se o seu torso for largo ou largo demais.

E já que estou falando de lapelas… elas devem seguir a escala do seu corpo. Por exemplo, um torso cheio, grandão ou largo pede uma lapela que não seja muito fina. Se o contrário for o caso e o seu torso for demure de alguma maneira, vá com uma média ou mais fina para ficar de acordo com a sua escala. A largura da gravata usada segue a dica da lapela, ok? E uma notch, que vem a ser a tradicional “picotada”, é sempre uma boa pedida para o dia ou para a noite. Já as pontudas podem sofisticar demais ou hipar o look. Mas se for esta a sua intenção…

Ah, e claro, as pontudas também podem ajudar a alongar o torso ou a silhueta, portanto, quem precisa de altitude ou largura aí… pode e deve adotá-la.

By now, vocês já devem estar carecas, ou melhor, cheios de cabelo de saber que um terno tem que cair como uma luva. E tem mesmo. Não adianta nada ser carésimo e parecer feito para outra pessoa. Não justifica usá-lo, que dirá comprá-lo. Mandar fazer então? Pra quê?

Fit, fit, fit este é o mantra do terno. E ajustes serão necessários sim, porque se ele – o terno – não for feito exclusivamente para você do zero, não tem como vestir bem o seu corpo. Portanto, ajustes sempre. Sem exceção. A não ser que você seja um destes seres privilegiados…

E para ter a noção certa do caimento perfeito, vá vestido com, ou leve com você para a sua caçada ao terno mais do que perfeito, uma camisa e o sapato que você pretende usar com ele. Nem se atreva a usar seta e tênis para tal, pois nunca terá a visualização exata de como o terno fica em você.

E na hora de experimentá-lo, pelo menos quando tiver achado o provável eleito, se você não for adepto de bolsas ou pastas, coloque todas as tralhas que costuma carregar dentro dos bolsos do terno pra ver como ficará, pois você vai usá-lo com todas elas não vai? E se fizer diferença? Só vai descobrir quando for tarde demais…

Só adicionando todos os elementos que estarão presentes com o seu terno é que você poderá avaliar se de fato ele cai – bem ou não – em você.

E se quiser ou precisar de opinião, leve junto um amigo ou amiga de bom gosto e ultra-sincero. E jamais dê atenção a vendedores na hora de experimentar ou de bater o martelo, pois eles podem dar “conselhos” ou opiniões convenientes a eles e não a você. É óbvio que não são todos, mas pelo sim e pelo não…

E outra coisa muito importante: escolha uma loja com uma ampla seleção de ternos, de tamanhos, tecidos e modelos diferentes para você ter opções. E olhe sempre a luzes confiáveis (as frias são um perigo!) calças e paletós, para ver se não tem diferença na cor.

E antes de colocar a mão na massa… uma info: os parâmetros que darei são opções clássicas e até com um quê de moderno, bem na linha do que um terno deve ser no momento, sem correr riscos de datá-lo anyway or anytime soon. Algo na linha do tradicional meets slim fit.Mas sem exageros e mais no feeling of it.

Enfim, escolha a opção que fique melhor em você.

Tradicional meets slim fit pero not completely

Comecemos então pelo paletó… aliás, comece sempre a apreciação assim, de cima para baixo, inclusive nos detalhes. Continuando…

Se o paletó não ficar perfeito no ombro, pode escolher outro tamanho ou modelo, pois aquele não é pra você. Ombro não tem como ajeitar. Nunca. Só com uma plástica no seu. Senão cair como uma luva, que a fila ande.

E como saberei se o ombro está certo? Bom, ele não pode ficar além dos limites e nem aquém. No lugar certo e ponto. Sem fazer rugas ou repuxes na região e nem volumes quando reto. Você pode fazer o teste de encostar lateralmente na parede vestido com ele. Se o ombro ou o braço encostar bem na frente do outro… não está certinho não. Às vezes ajuda. E só quem tem ombro caído ou totalmente desproporcional ao resto do corpo é que necessita de “enchimentos” adicionais ou coisa do tipo na área. Sem exageros, please. Fora estes casos, deixe-o sempre o mais natural/suave possível. E o que eu quero dizer com “natural”? Estruturados sempre, mas sem exageros do tipo estou treinando para jogar futebol americano.

Dito isso, o paletó perfeito pra você é aquele que abotoado vai estar confortável, mas imponente e bem ajustado à sua silhueta ideal. Não deve provocar rugas e repuxadas quando fechado e nem restringir os seus movimentos. Mas não deve também ficar confortável demais a ponto de permitir mais do que um punhozinho (mão fechada) entre o paletó e o seu tronco para um tradi e um pouco menos do que isso para um slim fit. Uma outra pessoa dentro? Nem em pesadelos!

As cavas das mangas devem ficar o mais altas e justas possíveis, sem conforto ou apertação demais. Caso contrário comprometerá o caimento do paletó, principalmente quando o braço for levantado. Nos paletós mais tradicionais elas não são tão altas como nos paletós contemporâneos. Se optar por um mais tradi, escolha um que não fique com as cavas baixas demais pra não comprometer a desenvoltura com a peça.

As lapelas devem ficar flats e nunca cobrir, pelo menos o primeiro botão da camisa. Quanto mais baixo você for, melhor que o primeiro botão do paletó fique baixo ou o mais baixo possível para te dar “altura”. Se por um outro lado você for altão, o primeiro botão do paletó pode até ficar mais alto.

A gola do paletó atrás não levanta e nem deve ficar afastada da camisa. E corcundas não são parte de look ternal nenhum. Pince e ajeite. E faça o mesmo se as mangas precisarem de ajustes para envolver melhor o braço.

Quando o paletó estiver aberto, as partes de trás e da frente devem cair retas, senão há algo errado com o “equilíbrio” do mesmo. Repare ainda em possíveis defeitos de construção do tipo pregas e volumes nas cavas e outros como mangas retorcidas, pregas indevidas, costuras descosturando, botões fracos, ombros repuxados e ondulados… se for o caso, rife da lista.

Sabe aqueles paletós quadradões (foto acima)? Bom, já eram. Pelo menos para aqueles que achavam que quadrado era the right way to go. O negócio é fazer com que a silhueta do seu terno dê uma boa forma ao seu corpo, mesmo porque corpo nenhum fica bem quadrado e ainda por cima com algo longo e largão, né? Portanto, lembre-se: dê uma leve “cinturada” nele, mesmo que você seja gorducho ou barrigudo. Só os donos de um quadril de respeito podem dar uma maneirada aqui (neste caso apostando num que caia mais reto, mas ainda levemente, bem levemente acinturado) ou então, alguém franzino ao extremo na largura do corpo. Mas é só uma aliviada mesmo e não desculpa para não fazer.

Não precisa ser tão cinturado assim, mas tem que ter um quê de sim!!!!

E ainda sobre os paletós… atrás, como já falei acima, veja se o colarinho ou alguma parte nas costas não precisa de consertos, pinçadas e ajustes. Lembrando sempre que o colarinho da camisa deve aparecer por trás do paletó mais ou menos um dedão. E que a gola atrás do paletó nunca deve ficar sambando e sim assentada junto à camisa.

Pra sua informação: um paletó nunca deve ser ventless, a não ser que a moda demande, pois além de datá-lo, não oferece nem conforto e nem elegância visual. Você pode optar pelas vents mais tradicionais preferida pelos americanos que são as simples e centradas ou então as faves dos europeus que são duplas sendo uma de um lado e outra do outro. E o que são as vents? São aquelas aberturas/fendas na parte debaixo e traseira do paletó. Got it?

Fenda simplesFenda dupla

Ah, e se você não sabe, um quadril largo ou um traseiro volumoso pode se sentir mais comfy com uma fenda dupla. E reparem se elas caem certinhas e simétricas, tá?

E o comprimento? Mangas devem permitir que um dedo de camisa apareça pela manga do paletó, portanto, devem ficar na altura da quebra do pulso. O diâmetro da abertura dela deve ser por volta de 15 cm ou o suficiente somente para enquadrar graciosamente o punho pra fora da sua camisa.

O paletó deve cobrir o traseiro de todos. Nos baixinhos ou semibaixinhos, ele pára bem na curva do bumbum com a perna. Nos outros, ele pode descer um tico mais se necessário for, sempre pensando em equalizar perna e tronco (calça e paletó) para que visualmente dividam o seu corpo em tamanhos iguais.

E sempre aposte em paletó de abotoamento simples nunca duplo, pois este é um tipo tricky de várias maneiras. Aliás, um abotoamento simples com 2 botões é o mais democrático (e a melhor pedida pros baixinhos). Um de 2 e 3 são considerados opções clássicas pra quem quiser saber.

Quanto às calças… elas não precisam de cinto ou suspensórios para ficar no lugar, não. Têm que ficar na delas sem ajuda nenhuma. Calça que precisa de uma help para ficar no lugar não é pra você. E não é para ficar apertada na cintura tão pouco. Ela pode e deve ser confortável sim, mas nada de exageros do tipo que requeiram ajuda extra. Só o suficiente para cair bem, não reter movimentos e colocar a mão nos bolsos com graça e certo conforto.

E por falar em bolsos… eles além de permitir a entrada das mãos, devem cair sem repuxadas, flat mesmo.

Com pregas e sem cuffsFlat front ou seja sem pregas ou barra italianaFlat Front pants

E onde ela deve ficar? Ela deve repousar na boa no quadril e não lá na porta do umbigo se for pensada de maneira moderna. Se for mais tradicional, que seja na cintura natural. Abaixo da barrigona de chopinho? Nem pensar. Que fique o mais perto da cintura possível, ou então vai detonar o caimento.

Sharp Suit e fechada sempre

E a barra deve ser longa o suficiente para cobrir as meias (estas quando em pé nunca devem aparecer) e um tiquinho do sapato, como pode também ficar acima do saltinho dele, flertando levemente com ele. Aí fica a critério de gosto e silhueta. Volumes na barra? Nunca!

Barra Italiana

E só escolha barra italiana (foto acima) se você tiver altura e pernas (compridas)  para usá-la. Caso contrário, nem considere, nem se for a barra do momento.

Se escolher calças com pregas, a barra italiana ajuda num caimento melhor. Mas vocês já devem saber o que eu acho de calças com pregas, não? Uma sem, do tipo plain front cai melhor. Pra todos. Ponto.

Barra italiana com pregas duplas (argh!)

Mas se quiser ou se sentir mais comfy com elas, certifique-se de que ela não adiciona volume à sua silhueta e que seja com uma prega somente.

E só escolha a do tipo afunilada se você for magrinho e petite na parte de cima (tronco e quadris) e quiser disfarçar estas características. Os outros devem optar por retas e mais confortáveis na barra, principalmente para quem for mais fino embaixo. Mas nada de exageros. Agora, se a sua intenção é ter um terno slim fit head-to-toe, aí a calça deve ser mais para o lado da skinny.

E a calça pode sim sofrer algumas alterações, mas se for mais do que um tiquinho aqui e acolá… escolha outra, pois a receita pode desandar no meio do caminho.

Se quiser a minha opinião… ache uma que fique bem na sua cintura ou osso do quadril dependendo do approach e comece por aí a sua busca. Uma leve ajustada se ela estiver discretamente larga na área dá pra consertar, mas se ficar larga demais ou apertada mesmo que um pouco, procure outra. Quanto à bainha… ela sempre se ajusta.

Só lembrando que se você é mais pesado, largo ou volumoso em cima e o contrário ou quase isso embaixo, use um paletó mais fino em cima e uma calça com um certo volume nas pernas embaixo, só o suficiente para equalizar a silhueta. Se for o contrário, faça o oposto.

E pelo amor de Deus, se olhe sob todos os ângulos e de todas as maneiras possíveis, imóvel e em movimento, sente, levante, abotoe, desabotoe… aí avalie: se sentiu bem, confiante e confortável ou algo desandou, arreganhou ou pior explodiu? Enfim, faça tudo que fará quando for usar o seu terno. Só então, chegue ao veredicto e bata o martelo.

Ou não.

 

Okay, you are done!

Na hora de pegar o terno pronto, experimente-o e de novo, com a camisa e sapatos adequados. E claro com as “tralhas” usuais nos bolsos também. E aí veja se ficou Perfeito com P maiúsculo. Se for com p minúsculo, mais um round será necessário.

É amigo, quem disse que a busca pelo terno perfeito seria moleza?

Há ainda outras coisas a se falar, como por exemplo os tipos/cortes (italiano, americano e inglês), tecidos, mais um pouquinho sobre biotipos, o colete… Mas deles eu falo em uma outra ocasião… Já tagarelei demais neste post não?

E veja bem: é mandatório dar uma olhada em todos os posts abaixo! E eu não estou brincando, pois nele você pode encontrar uma boa explicação para a sua dúvida.

E só pergunte após ler tudinho!

Ternos que todo homem deveria ter,

O teste do espelho,

Quantos botões o paletó do terno deve ter?,

Quando e quais botões abotoar?,

As medidas do seu terno – para comprimento de mangas, calças e paletós,

Slim fit e tradicional – uma definição,

Um papo sobre os ternos slim,

Os sapatos certos para usar com o seu terno,

O terno de um milhão de dólares,

Um papo sobre o terno preto,

Ternos com Padronagens,

Calça amiga,

Calças com ou sem pregas?,

A cor das meias,

A altura das meias,

Com ou sem cinto?,

Nós de gravata – how to,

Como aprender a escolher a gravata certa para o seu terno e camisa,

A covinha da gravata,

O tira e põe do paletó,

Camisas com botões na gola do colarinho,

Top 10 Fashion Clues,

Gravata não é babador,

Gravata Skinny,

Até aonde deve ir a gravata,

Hankies – Lenços de Bolso,

Para mandar fazer lenços de bolso,

Estampa com estampa, dá pé?,

Tudo o que você precisa saber sobre carteiras,

Quando for encurtar as mangas do paletó….

E por aí… aqui tem um vídeo da GQ que fala sobre enternadas para 4 body types: short, tall, atlético e substancial.




04/07/07
Na(s) categoria(s): Guia de Compras, Q&As | Postado por Diandra Fernandes às 0:07

Indo direto ao ponto, as guidelines para as medidas do terno são:

O paletó do seu terno deve sempre cobrir o seu traseiro por completo. Ponto. Se você for do tipo vertically challenged, ou seja, um da trupe dos baixinhos, recomendo que o paletó se alongue só o suficiente para cobrir o bumbum e que pare justamente logo abaixo da curvinha que o liga à perna. Mais do que isso vai encurtar ainda mais as suas pernas.

Para quem é de altura mediana ou alto, pode se ir um pouco mais além. Mas não muito, só um pouco mais abaixo da linha padrão dos baixinhos até que a altura de tronco e pernas se equivalham visualmente.

Se for altão e quiser ou precisar “encurtar” as suas pernas porque elas são longas demais… aí desça um pouco mais. Mas nada de exageros, só o necessário para equilibrar a silhueta caso seja preciso. Caso contrário, o bichinho te engole.

Uma boa maneira de saber até onde o seu paletó deve ir é ficando em pé e com os braços esticados para baixo. Aí agarre a barra do paletó com os dedos fazendo uma conchinha. Deu para agarrar na boa? Então é nesta altura que ele deve ficar. Nem mais, nem menos. Mas só um detalhe: quem tem braços curtos não vai ter bons resultados com esta técnica não. Idem para braços longos.

Mangas certas

Já as mangas do paletó não devem jamais ultrapassar o limite que a sua mão estabelece, que dirá engoli-la. A altura certa de uma manga de paletó de terno é na altura do osso do seu pulso (onde ele encontra a mão) para permitir que pelo menos um dedinho da camisa apareça por esta “brecha” sem devorar as suas belas mãos. E deve ser com ele assim, estendidão ao lado do corpo (como na foto acima). Você pode mostrar um pouquinho mais ou um pouquinho menos do punho da camisa dependendo do seu gosto, mas sempre mostre, pois isso demonstra que você sabe o que está fazendo quando o assunto é ternos.

Mangas no lugar da camisa e do paletó

Há variações mais modernas, onde você pode encurtar mais um pouquinho este ratio, mas é só um pouquinho mesmo. Senão fica pescando siri, o que não é a intenção aqui.

Em relação às calças… você pode optar por uma altura de caimento aonde dê para cobrir inteiramente as meias e tocar levemente os sapatos. Ou pode ainda deixar a barra um pouco mais longa deixando-a bater mais ou menos na altura do terceiro cadarço (se o sapato for de amarrar é claro) contando da ponta do pé pra cima e ficando acima da altura do salto do sapato sem nunca cobri-lo nem chegar perto dele.

Na medida certa para cobrir meia e um tantinho de sapato!

Agora, em nenhum caso, quando em pé, a meia deve aparecer. Nem andando. E não deve também ser longa ao ponto de formar volume algum sobre o sapato. Ela tem que cair reta e na boa, mesmo com barra italiana. Ou talvez, principalmente com ela.

Veja ainda:

Os ternos que um homem deveria ter

Tudo o que você precisa saber sobre ternos

E se estiver procurando ternos online pra comprar, dá uma olhada aqui ó.




30/05/07
Na(s) categoria(s): Guia de Compras | Postado por Diandra Fernandes às 23:47

Terno cinza médio: o seu curinga de sempre

Se eu tivesse que indicar um terno ou o primeiro terno que um homem devesse comprar na vida seria um belo terno cinza médio pro escuro como o da foto acima. Ele é o mais versátil de todos pois dá com absolutamente todas as cores de camisas (salvo uma ou outra e mesmo assim acompanhado de um sonoro talvez dê sim) e pode tanto ser usado no verão como no inverno, de dia como de noite e em ocasiões formais mil que peçam um belo terno, como aquela reunião importante, entrevistas de emprego, um casamento como convidado ou até mesmo como padrinho (desde que seja “o” terno, mas cá pra nós, todo o terno no seu armário deveria ter o status de “o terno” senão, pra quê um?) e por aí vai. Com ele você vai aonde quiser (com exceção dos formalíssimos black and white tie soirées) e sempre bem vestido.

O mesmo pode se dizer do segundo terno campeão: o azul marinho. Ele também é tão versátil quanto o cinza e trafega tão bem quanto ele pelas mesmas ocasiões. Talvez as combinações de camisas sejam menos numerosas, mas continuam bem substanciais.

Na hora que tiver que escolher o seu primeiro terno ou ainda o filho único do seu guarda-roupa, seja por razões monetárias ou simplesmente porque não necessita de um com certa frequência, a sua escolha deve recair entre um destes dois, pois eles te darão uma gama maior de possibilidades de uso. E nunca vão te deixar na mão nas mais diversas ocasiões tanto diurnas quanto noturnas.

O terceiro para muitos seria o preto, mas como estamos no Brasil, eu vou eleger o bege ou cáqui. A verdade é que um país tropical pede um terno que ao menos pareça fresquinho, e um bege ou um cáqui de algodão, panamá ou mesmo tropical… é um must nestas horas. Além de vestir bem durante o dia tanto para o trabalho como para o lazer, ele pode até ser usado para um casamento diurno no campo ou na praia ou no cartório ou mesmo o festivo, vai saber? Ele também permite inúmeras combinações que fazem dele outro campeão no quesito versatilidade. E não, não fica casual demais para nenhuma das ocasiões citadas. Só evite usá-lo em dias muito frios ou chuvosos. Por razões óbvias.

O quarto seria o preto. Apesar de já ter falado todas a respeito do terno preto, falarei mais um pouquinho, porque como vocês devem ter notado, adorado falar, escrever, “testamentar”. Não está errado usar o terno preto para o dia-a-dia, ainda mais hoje em dia onde ele parece já ter sido incorporado e aceito como um dos curingas do workwear masculino. Agora que mesmo assim ele continua tendo sim um quê de funébre e uma austeridade que simplesmente destoa dos afazares diurnos, ah isso tem. Ou por algum acaso você acha que o Roberto Justus quando vestido num dos seus ternos pretos e impecáveis fica parecendo que vai dar duro no seu escritório de publicidade? Dá mais na pinta que ele está a caminho de um funeral ou de um casamento formalíssimo, é ou não é? Ralar que é bom, nada!

E no calorão que vivemos então… dá dó de ver alguém dentro deles. Imagina estar dentro de um… mesmo que ele seja aclimatado (e eu espero que os seus sejam sim) e tal… Realmente, não dá para entender. Mesmo porque, pra que vocês vão gastar gratuitamente um trunfo que é o terno preto (fica elegantérrimo, alinhadíssimo e “gatifica” os homens que é uma beleza!) no seu dia-a-dia sem razão especial nenhuma de ser? Diga-me pois eu quero saber. Por essa e outras é que eu continuo não recomendando o terno preto para o dia, nem se a temperatura bater no zero garus. Reserve ele para fazer a temperatura das mulheres subir na hora e ocasiões certas.

Mas enfim, rifado do dia, ele é maravilhoso para a noite e para ocasiões formais, pois ele é elegantérrimo (a não ser que seja um daqueles em que o preto não é tão preto assim…. aí não é não viu?) e fica divino, imbatível quando usado com uma camisa branca. Ele não é tão versátil como se acredita, afinal preto não dá com tudo não. Mas se você é adepto de uma balada formal ou socializadas… ou mesmo que não seja, mas queira ter a sure thing para ocasiões noturnas que peçam certa formalidade… é bom ter um.

O quinto seria um de risca de giz com as riscas bem discretas e finas, preferencialmente azul marinho. Mas se você quiser, pode até ser um preto ou cinza. Agora sempre tenha em mente as limitações do preto e de quão mais versátil o azul marinho e até o cinza poderão ser. Um risca de giz, além de alongar a silhueta, é uma ótima opção para dar uma diferenciada e do tipo imponente.

E no espírito de país tropical… um cinza claro arremataria o leque de opções do seu look ternal. Ele fica bem restrito às atividades diurnas que não peçam mais do que um bom terno, tipo um dia normal no escritório, mas pode ser uma boa pedida para um casamento durante o dia, um almoço de negócios e até um jantar mais sofisticado em pleno verão. Já à noite em ocasiões que demandem certa formalidade ele não trafegaria tão bem assim.

 

Ainda indico como opções possíveis para aqueles que precisam de ternos para viver, um marrom para usar no dia-a-dia e em ocasiões diurnas sociais e ainda, um verde oliva só para ter um quê de cor no seu repertório ternal.

E pra você saber: os ternos de abotoamento simples de dois botões são os ternos do momento. E mesmo que não fossem, é o terno a se escolher pois eles vestem bem quase todos os tipos físicos, senão todos. Por exemplo, baixinhos devem adotá-lo pois é o terno que melhor lhes favorece. E mesmo quem é mais grandão e costuma ficar melhor com um de três botões, não vai fazer feio não com os de dois. Além do que ele é atemporal, um clássico mesmo.

Veja também:

As medidas do seu terno
Tudo o que você precisa saber sobre ternos

E se estiver procurando por ternos pra comprar online, dá uma olhada aqui.




Anterior1394041 Página 41 de 41