Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


10/05/16
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:45

E o desta vez é o discurso de formatura que a JK Rowling, criadora do Harry Potter e cia, deu em Harvard em 2008. Faz um tempinho mas é timeless. JK Rowling que antes de se tornar uma das escritoras mais lidas deste universo (e de Hogwarts) não tinha exatamente a vida dos seus sonhos, justamente porque não fazia o que de fato queria pra si, que era escrever histórias. Ou seja, ela por si só tem uma superbagagem pra endereçar um discurso sensa de formatura.

Enfim, roda o vídeo e check for yourself. Vídeo que está em inglês, mas com legendas em português. E vale muito. Pra inspirar você que se formou ou está se formando agora e você que está aí lidando com um ponto de interrogação na sua vida profissional e por que não, pessoal seja na fase que for. Porque o discurso dela dá uma inspirada nela também.

Aliás, sobre a JK Rowling… tem um filme bem simpático na Netflix sobre a vida dela. Se quiser assistir o nome é Magia Além Das Palavras – A História de JK Rowling.




14/04/16
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:16

E estas 10 maneiras pra ter um papo melhor com quer que seja, social ou profissionalmente foram dadas pela Celeste Headlee num daqueles TED Talks. O papo dela é bem legal, mas está em inglês. Daí eu resumi brevemente as 10 maneiras que ela como entrevistadora profissional (Celeste trabalha em Rádio) considera que são os pontos-chave pra se ter uma conversa das boas com quem quer que seja. Ei-las:

  1. Não converse no modo multitask (fazendo outra ou outras coisas junto). Esteja presente. E todo ali.
  2. Não seja o sabichão fechado na sua, aquele que sabe tudo ou melhor do assunto que está falando e não aceita nada novo ou discordante do seu ponto de vista .
  3. Se valha de perguntas em aberto que não caiam no manjado sim ou não ou talvez como resposta. Foque naquelas que começam com Quem, Como, Onde, O Quê e Por quê? Sabe quais?
  4. Flua e deixe fluir os pensamentos.
  5. Se você não sabe, diga que não sabe.
  6. Não equacione suas experiências com as de quem conversa com você. Por exemplo, se alguém acabou de se divorciar, não comece blablablablando da vez que você se divorciou.
  7. Tente não se repetir.
  8. Esqueça os detalhes detalhudos e foque em você e como é.
  9. Ouça. Ouvindo mesmo.
  10. Seja breve.

E neste link aqui dá pra ver o vídeo com transcrição em português. Basta escolhê-la e tal.

 




01/03/16
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:11

Concursos públicos ou simplesmente melhor estudar pra qualquer prova, tipo da escola, faculdade ou vestibular. As 6 técnicas poderosas foram dadas na Exame e são as seguintes:

6 dicas pra estudar concursos públicos

  1. Grave sua própria aula sobre a matéria. Explico: leia parte da sua apostila sobre algum assunto e em seguida grave a sua própria voz explicando o conteúdo. Pra fazer isso você vai precisar estudar bem o tema, exercitará seu poder de síntese e memorização ao dizê-la em voz alta e terá à sua disponibilidade a aula pra ouvir quando bem quiser ou der, tipo no trânsito ou em trânsito. Quer dizer…
  2. Resolva muuuuitos exercícios.
  3. Faça associações mentais. Quanto mais engraçadas, melhor. Porque criar conexões entre palavras e conceitos é uma maneira super de memorizar whatever.
  4. Faça um fichamento dos textos. De preferência à mão. Porque eis aí uma das melhores maneiras de reter info no cérebro.
  5. Estude em grupo. Porque permite a discussão dos temas estudados.
  6. Quebre as sessões de estudos em blocos aka studyblock. Como? Fazendo intervalos de uma em uma hora pra descansar e mexer o corpo. E/ou intercalando as disciplinas entre si. Ou seja, ao invés de estudar uma matéria por dia, estude várias matérias por dia, tipo em meia hora ou uma se dedique à algum tema de português, num outro bloco de meia ou uma hora a um tópico de matemática e assim se vai.

Pra mais detalhes, dá um pulinho na Exame.




23/02/16
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:34

E os 5 jeitos de matar os seus sonhos segundo a Bel Pesce (no link tem a bio dela pra quem não a conhece) no seu bate-papo motivacional lá pelas bandas do TED são os seguintes:

5 maneiras de matar os seus sonhos

 

  1. Acreditar no sucesso instantâneo.
  2. Acreditar que os outros têm as respostas pra você.
  3. Decidir se acomodar quando o crescimento é garantido.
  4. Acreditar que os erros são dos outros. São seus sonhos e, portanto, é sua responsabilidade make them happen, não os outros.
  5. Acreditar que a única coisa que importa é o seu sonho apenas. A jornada conta. E muito. Enjoy every bit of it!

O vídeo da palestra dela, que é rapidinho, é este aí ó. Roda pra entender melhor.




06/01/16
Na(s) categoria(s): Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 11:26

Se tem uma coisa que não passa firmeza e nem é agradável é um aperto de mão frouxo. Tá, um super apertado e vigoroso também não é exatamente o caminho, mas um frouxo é terrível e profissionalmente, por exemplo, pode pesar contra você, inclusive numa entrevista de emprego e tal.

como dar um aperto de mão certo

Vale lembrar que mão suada ou suja também está fora de cogitação, por razões óbvias. Né?

E isso tudo vale tanto pra vida profissional como pra vida social, tá? Porque de fato não é nada agradável receber um aperto de mão frouxo ou cheio de não me toques e/ou sujo ou suado.

Então, eu estava no YouTube procurando um tutorial pra postar de um aperto de mão certinho e acabei encontrando este vídeo acima que até tem o aperto de mão tradicional certinho, mas tem também outros apertos de mão dudeanos, inclusive… O vídeo é divertido e possivelmente de um destes YouTubers famosos (sou a clueless pra esta modalidade), já que o dude NigaHiga (que é uma graça, diga-se) tem visualizações na casa dos 8 dígitos.

Roda o vídeo.




15/12/15
Na(s) categoria(s): Comportamento, Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 9:15

E estes erros eu tirei desta matéria do G1, que foi baseada num artigo do Business Insider. Artigo que diz inclusive que “um estudo de rastreamento ocular apontou que o entrevistador gasta apenas 6 segundos em cada currículo observando o nome do candidato, posição atual e anterior, empregador, início e fim dos últimos empregos e educação. Se o CV não consegue se destacar nesse momento, ele não será avaliado novamente.” Ou seja, não deixe estes itens de fora e capriche neles. Mas sem mentiras. Porque são eles que vão levar o recrutador a ler ou não o seu CV.

Ah, e vá direto ao ponto, sem lero leros. Tanto pra estes itens como com todo o conteúdo enviado pro recrutador. No mais, eis os 6 erros básicos que você não deve cometer pra deixar o seu CV com cara de bom candidato:

currículo vitae 6 erros que indicam não é bom candidato

  • Falta de uma carta de apresentação. E mesmo que o anúncio não requeira uma, é bom colocar. Ela deve ser curta e direta destacando suas qualificações. Pode até conter um link pro seu perfil no LinkedIn.
  • Formato errado. O documento tem que ser fácil de ser aberto por qualquer um, quer seja word, pdf ou no corpo do email.
  • Layout. Cores e imagens, por exemplo, não são as melhores opções nessa. Numa área criativa, vale se valer do bom senso pra saber até onde pode dar uma ousadinha básica.
  • Erros gramaticais. E nessa inclua a carta de apresentação e o conteúdo do email plus o CV. E além de você revisar algumas vezes (acho uma boa imprimir uma cópia e revisar por ele), é bom pedir que alguém o corrija, lendo em voz alta.
  • Jargões. Evite. Evite também palavras desnecessárias e adjetivos.
  • Tamanho. Um bom CV deve ter 1 ou 2 páginas no máximo e listar somente experiências de trabalho relevantes e resultados alcançados. Atividades extracurriculares devem ser deixadas de lado. Um currículo curto e com as informações pertinentes vão mostrar ao recrutador que o profissional consegue focar no que realmente interessa.

Boa sorte e sucesso!




09/12/15
Na(s) categoria(s): Tech Stuff | Postado por Diandra Fernandes às 9:02

Eis a questão. E pra responder, ou melhor, pra te ajudar a resolver se sim ou se não tem esta matéria aqui da Forbes que enumera algumas razões e seus porquês pra se ter um app, mesmo que seu negócio tenha site e versão mobile. Dentre elas destaco estas aqui ó:

seu negócio deve ter app próprio

  • Um app vai te permitir ter acesso aos dados do usuário. Porque sim, aplicativos móveis permitem obter dados valiosos que podem ser úteis, como números de telefone, informações de localização e demográficas, contatos, perfis em redes sociais, por exemplo.
  • Ele pode melhorar sua posição no ranking do Google. O Google costuma mostrar aplicativos entre os primeiros resultados quando a busca é feita pelo celular. Ter uma posição alta no ranking tornou-se extremamente importante, já que os usuários que buscam pelo celular raramente vão além dos primeiros resultados.
  • Pode aumentar o alcance aos consumidores. Espertofones são muito usados para fazer buscas na internet, por isso é importante que seu negócio esteja a um clique ou deslize fácil de distância. Com um aplicativo, você estará gerando conveniência a seus consumidores, tornando seu produto ainda mais fácil de usar. Num futuro próximo, quase todos os negócios terão um aplicativo, então é importante adiantar-se e começar agora.
  • Considere se o app vai agregar valor e funcionalidade. Porque só assim vale enveredar por essa. Comece com a experiência do seu cliente e com análises profundas dos usuários da versão mobile do seu site para ter certeza da necessidade e da oportunidade de mercado antes de investir em criar um aplicativo.
  • Avalie se ele pode tornar seu serviço mais eficiente. Se a versão mobile do seu site é mal preparada para solucionar problemas específicos, você deve considerar aplicativos nativos. Pra ilustrar: “se os hóspedes do seu hotel esquecem as chaves de seus quartos com frequência, você pode melhorar a estadia deles permitindo acesso aos quartos via smartphones. Ao avaliar a ideia de um app, alinhe seu investimento aos seguintes aspectos: receita, produtividade e qualidade de vida. E vale ainda se perguntar:“Como as funcionalidades de um aplicativo vão impactar um (ou vários) desses aspectos?”. Se você conseguir quantificar a oportunidade de negócio, pode ser a hora de lançar o app.” Pra avaliar, sempre pense nos problemas do negócio e depois procure a tecnologia eficaz para resolvê-los.



123... 12Próxima Página 1 de 12