Vem saber tudo sobre ternos, vem?


08/04/14
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:06

É sempre bom dar uma boa olhada em revistas como a Isto é Dinheiro, Exame, Época Negócios, Você SA. Porque nestas revistas (que têm versões online) sempre tem artigos com recrutadores, donos de negócios, consultores disso, daquilo trazendo informações da atual situação do mercado. É assim que eu me informo e por isso acabo trazendo pro blog o que vejo por aí de relevante. E assim, se você trabalha ou está começando a trabalhar ou quer arranjar um outro emprego é super importante ficar por dentro do que está rolando no seu meio. Porque além de cada meio ter lá o seu código, as coisas mudam. Por exemplo, eu mesma postei aqui há um tempo sobre se valer do perfeccionismo como um dos seus pontos fracos pra figurar bem numa entrevista diante daquela perguntinha clássica sobre o assunto. Há uns anos esta resposta era A resposta do cara antenado, superatualizado. Já hoje em dia se valer do perfeccionismo virou um clichezão a ser evitado e se você se valer dele, vai te fazer parecer um tanto quanto desatualizado pra dizer o mínimo. E isso pode pesar contra você. Porque saber das regrinhas do jogo e ilustrar bem isso com as suas respostas é fundamental pra quem estiver buscando um emprego ou o primeiro emprego.

se informando

Estas revistas que eu citei acima são as que eu costumo dar uma boa olhada e falam mais do mundo corporativo, mas dá super pra tirar coisas pra outras áreas. Tipo o exemplo anterior. Mas se na sua área tiver jornais, revistas ou mesmo sites próprios, lógico que dar uma olhada neles (ao menos em alguns bons deles) e se informar sobre este mercado é sine qua non.




25/03/14
Na(s) categoria(s): Comportamento, Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 9:21

Sabe aquele cara com quem você trabalha que você vive explicando minunciosamente as coisas e mesmo assim ele age como se não tivesse entendido nada, sabe-se lá por quê? Então, a primeira coisa a tentar ao invés de ir lá e perguntar o famoso ” por que você não entende ou presta atenção no que eu explico?” é ir até ele e na boa dizer algo do tipo “eu tenho te explicado isso algumas vezes ao longo destes dias e me parece que você está tendo uma certa dificuldade pra entender ou executar a tarefa. Tem algum jeito de eu te explicar melhor isso? Eu estou deixando de lado algum detalhe ou você precisa de mais informação?”

coworkers

Desta maneira você não só se insere como possível parte do problema (porque vai que você não está mesmo explicando assim tão bem) e tira o peso da acusação pra cima dele como abre uma brecha para que o coworker te dê um feedback sobre o que que está havendo pra ver se você consegue acertar o passo.

Acho que este approach serve pra tudo.

Se mesmo assim não conseguir…

Via Lifehacker.




18/03/14
Na(s) categoria(s): Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 9:10

E eles são os seguintes:

erros corporativos mais comuns

  • Não apertar a mão adequadamente. (Aqui tem o como fazer isso ai direitinho.)
  • Receber o cartão de visita de alguém e não ler ou esquecer na mesa. (Aqui tem a etiqueta do cartão de visitas.)
  • Não manter contato visual ao falar ou ao cumprimentar alguém.
  • Ficar falando ao telefone quando estiver com alguém. Né?

Pescou? Good. E se já tiver cometido alguns deles ou todos, vira a página e comece a não cometê-los mais, ora. ;-)

Fonte: Exame.




11/03/14
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 9:23

E são perguntinhas preparatórias pra você ficar tinindo pra sua entrevista de emprego. E de acordo com esta artigo da Exame elas são as seguintes:

entrevista de emprego como se preparar

  • Qual o momento econômico e as tendências do mercado no qual você pretende trabalhar? – isso porque é sempre bom estar bem informado sobre o mercado em que você está querendo trabalhar.
  • No que você é bom? – e sobretudo, como isso pode ser útil pra empresa onde será entrevistado, tá?
  • Por que você quer trabalhar na tal empresa? – pra isso você tem que saber como a empresa funciona e o que te atrai nela.
  • Quais as suas principais conquistas e aprendizados? – reflita de forma objetiva sobre suas conquistas, pontos fortes, vitórias, sobre o que aprendeu com as experiências que teve…

Portanto, dê uma pensada nelas e tenha as respostas bem definidas na sua cabeça. ;-)




04/03/14
Na(s) categoria(s): Comportamento | Postado por Diandra Fernandes às 8:59

E o caminho de areia está aqui ó. Na verdade no artigo da Exame tem algumas dicas de como ser autônomo (e aqui tem um bom papo do que é ser autônomo) de maneira que se valha de alguns direitos que têm pra sua melhor conveniência. E avaliar inclusive se não seria melhor abrir uma empresa e tal. Existe inclusive a opção de MEI (microempreendedor individual) que pode ser interessante e vantajosa pra alguns casos. Vale a pesquisada.

autonomo como se regularizar

As dicas incluem: cadastrar-se na Prefeitura do seu Município (inclusive pra poder emitir nota fiscal) e como lidar com a contribuição do INSS, o recolhimento do imposto de renda mensamelmente (via o carnê-leão) e o deduzir as despesas do livro-caixa.




25/02/14
Na(s) categoria(s): Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 9:29

E elas são as seguintes:

etiqueta -mesa

  • Quando o prato chegar coma no mesmo ritmo que os outros. Porque é chato pacas ficar esperando por alguém que ainda não terminou especialmente porque ficou de papo.
  • Só comece a comer quando o anfitrião começar ou dizer pra que todos comam.
  • Não fique fuçando a travessa em busca do melhor pedaço.
  • Não deixe comida no prato.
  • Não beba (e nem fale, né?) com a boca cheia de comida.



20/02/14
Na(s) categoria(s): Anote Essa! | Postado por Diandra Fernandes às 8:37

essa tal de felicidade

Parece que recentemente a ciência resolveu dar uma olhada mais criteriosa nessa tal de felicidade e notou que existe sim uma fórmula pra ela que é a seguinte: genes + eventos x valores = felicidade. Quer dizer, os sinais da tal fórmula fui que eu que atribui, mas os elementos são os próprios: genes, eventos e valores. Isso porque algo em torno de 48% desta tal da felicidade vem da nossa genética, sem nenhuma interferência externa, ou seja, nada que possamos fazer a respeito, tipo a pessoa já vem de fábrica predisposta a ela, sabe como? Já 40% vem de algo que aconteça que nos deixa superfelizes num momento ou ocasião como arranjar o emprego dos sonhos ou realizar algo que sempre quis fazer. Só que este tipo de felicidade não tende a durar ou perdurar por muito tempo. E sobra os 12% que ficam por conta dos valores que a gente tem. E entenda valores como os seus próprios valores e de como vive de acordo com eles e ainda algo que englobe a fé (e desconfio que nem precisa ser algo ligado a uma religião somente), família, comunidade/amizades (porque os relacionamentos que a gente tem e qualidade deles são a base fundamental para amparar e vivenciar a própria) e trabalho (trabalhar com algo que ame e que seja recompensador pra você onde você seja bem sucedido financeiramente ou no sentido que aprendi recentemente: o quanto consegue inspirar os outros).

E seriam estes últimos os tais elementos que poderiam assegurar a tal da dona felicidade por mais tempo e que independeria dos genes e tal. Ou seja, o ambiente que você tem ou dispõe à sua volta, os seus relacionamentos e como se relaciona com tudo isso é o caminho.

Eu acho que faz um certo sentido porque eu por exemplo acho que a felicidade não é um destino a se chegar e sim um jeito de viajar e tem muito mais a ver como se encara a vida do que qualquer outra coisa.

E você, pensa o quê?

Via NYTimes.




123... 8Próxima Página 1 de 8