Como Usar e Onde Encontrar Pulseiras Masculinas!


13/04/12
Na(s) categoria(s): Celeb Spotted, Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 20:18

People.com

Fofo o Mathew McConaughey e o seu guarda-chuva verde “protegendo” da chuva a sua esposa Camila.

E sim, guys, é uma atitude gentlemen-esca ser você o segurador do guarda-chuva quando em par.

Tão que vou fingir que nem vi o tênis…




23/07/07
Na(s) categoria(s): Comportamento, Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 0:39

De uma maneira geral, pães, canapés, torradas, biscoitos, sanduíches (se não vierem acompanhados de talheres), alcachofras, aspargos, espigas de milho e algumas frutas como uvas em cacho ou outras como cerejas se forem servidas com os devidos cabinhos permitem esta relaxada.

Há de se considerar também o ambiente em questão. Num restaurante fast-food é claro que as batatas fritas podem ser pegas com as mãos. No prato de um restaurante, mesmo que mais simples… não se deve. Num restaurante à beira-mar ou rústico, patinhas de caranguejos e outros petiscos do tipo podem ser degustados com o auxílio das mãos. Já fora deste ambiente, só alguns camarões, certas lagostas e ostras podem ser pegos com as mãos.

Aliás, usar o ambiente como parâmetro é uma boa maneira de evitar embaraços. Quanto mais formal, mais aconselhável se é comer com talheres, com exceção de alguns alimentos como pães que devem ser pegos e cortados com as mãos anyways. Precisa de um lembrete para casos assim? Se não forem “sequinhos” dificilmente permitirão uma pegadinha.

Mas voltando ao nosso dia-a-dia… No caso de galetos, frango à passarinho (oh, my!), carnes com ossos na extremidade, segundo alguns especialistas em etiqueta é possível usar as mãos pra comê-los. E há quem disponibilize luvas para consumir mais “confortavelmente” the dish. Mas acho que nem preciso dizer o que acho a respeito. Mas direi: não fica nada elegante, muito pelo contrário. Lugar de cirurgia é no hospital e não à mesa.

Aliás, isto me faz lembrar de uma outra questão: certas comidas que pedem um certo “conforto” ao serem consumidas, seriam melhor e mais bem apreciadas entre quatro paredes, sem testemunhas que nos condenem. E esta é uma boa maneira de encarar o menu, principalmente se você estiver com uma pessoa ou grupo de pessoas que não tem lá certa intimidade para pagar um mico mesmo que pequenucho.

Se quer saber, comidas muito apimentadas que vão te fazer suar em bicas anytime soon, macarronadas com molhos pingantes ao extremo e tudo o mais que possa causar algum acidente, mesmo que puramente visual devem ser evitadas se você não quiser arriscar dar um fora basiquinho. Mas se não se importar e quiser arriscar… go for it!

E não se preocupe: em ocasiões formais, dificilmente estas “delícias” vão figurar.

E quando for o caso de utilizar as mãos, faça uso de guardanapos, lenços umedecidos ou algo para higienizar como lavandas que o próprio restaurante deve oferecer antes de começar a comer e depois de finalizar. Aliás, fica aí a dica: se o restaurante não oferecer os tais higienizadores, muito provavelmente não se deve utilizar as mãos para comê-los.

E tenha mão firme, caso contrário… vexame na certa!

Em tempo: em alguns países, há certas comidas que podem ser pegas com as mãos como tortilhas, tacos e burritos e outros do tipo igualmente sequinhos no México, alguns tipos de sushi no Japão e muitos pratos árabes como charutinhos, quibes, esfihas dentre outros. E aqui aquela máxima “When in Rome… do like the Romans” pode muito bem ser aplicada. E se for um restaurante típico mesmo aqui no Brasil, pode arriscar se achar conveniente. O mesmo serve para regionalidades do nosso país.




10/10/06
Na(s) categoria(s): Comportamento, Etiqueta e Boas Maneiras | Postado por Diandra Fernandes às 17:02

Tradição das mais antigas, o aperto de mão é um ótimo jeito de cumprimentar quem se está conhecendo pela primeira vez (social ou profissionalmente) ou mesmo se revendo pela enésima vez, mas não se tem lá tanta intimidade assim para trocar beijocas. Cai muito bem também para despedidas.

 

Um bom aperto de mão deve ser dado de forma firme, nunca frouxo. Mas não exagere, já que a idéia é fazer a pessoa sentir a sua presença e não se retorcer de dor. Encaixe sua mão inteira na da pessoa em questão até o polegar e aperte. Nada de ficar chacoalhando as mãos no ato de apertar. Um shake gentil só, basta.

E pelo amor de Deus, antes de qualquer aperto de mão, tenha a certeza de que sua mão não está nem suada, nem fedida. Para isso mantenha-as sempre secas e cheirosas, porque dar aquela enxugada básica na barra do paletó momentos antes do aperto não pega nada bem.




Anterior1161718 Página 18 de 18